BARRA DO FAROL e OUTUBRO ROSA - SANTA CATARINA

Nesta semana participei de dois eventos consecutivos na bela e SANTA CATARINA tendo a companhia do Gilberto.
 
Dia 22 em ITAJAÍ, corrida BARRA DO FAROL, organizada pela ACRI, onde desde a decisão de participar já sabíamos que haveria surpresas na organização da mesma.
O trecho mencionado era para ser de 07 km, mas já achávamos que seria uns 5 km, fato que realmente aconteceu, tendo a prova um percurso de 4,5 km.
O local do evento, a BARRA DO FAROL, muito bonito, no canal de entrada dos navios no porto de ITAJAÍ.
Largada pontual pelo menos desta vez, sendo as 20.30 h. 
Apesar da organização deste evento deixar a desejar, os atletas presentes não se preocupam e se divertem muito, transmitindo muita alegria e companheirismo.
Valeu a participação.

Na quinta feira dia 23 participamos da corrida OUTUBRO ROSA NIGHT RUN em Biguaçu.
Evento organizado pela Acorsul  com largada as 20.00 hs.
Evento com uma boa organização contando com mais de uma centena de participantes em um trecho de 4,6 km., tendo três subidas que exigiam muito dos atletas.
Encontramos vários atletas que também haviam participado da corrida na noite anterior em Itajaí.
Neste evento houve a participação de tres deficientes visuais.
Uma noite propicia para a prática de corrida de rua.
Mais uma cidade para a lista de participação de JACARÉS.
VALEUUUUUUUUUUU

Claudio Luiz Guras

MARATONA INTERNACIONAL DE SÃO PAULO - 19/10/2014

"Em primeiro lugar obrigado meu Deus, por tudo o que tens feito por mim." 
 O desejo de participar desta Maratona era imenso e para que nada saísse errado, eu fiz a minha inscrição no inicio de janeiro. Esperei até agosto para comprar as passagens aéreas e reservar o hotel. Tinha informações de que esta maratona era difícil, me preparei psicologicamente para participar dela, tendo em vista que preparado fisicamente eu sempre procuro estar. Nos últimos dias que antecederam a corrida as informações eram de que os atletas enfrentariam um adversário terrível, o forte calor. Cheguei em São Paulo no sábado às 11:20 h e o tempo estava agradável, sol  ameno e o clima estava mais para um mormaço do que para um calor de 35 graus como os noticiários indicavam. Fui direto do aeroporto ao local da retirada dos Kits e não me desapontei com a organização no local, muito bem organizado sem transtornos e estresses. Peguei  meu Kit e o da Jovem Senhora Adriana Cristina Alves tendo em vista que ambos fizemos as inscrições juntos . Mas infelizmente por problemas estritamente profissional a Adriana não pode viajar para participar da Maratona. Do local da retirada dos Kits até o hotel fui a pé pois estava hospedado a menos de 10 minutos, e  do hotel até o local da corrida em torno de 15 minutos.  No final da tarde fui ao Parque do Ibirapuera encontrar um casal de amigos de Porto alegre que também foram a São Paulo para participar da Maratona. Face um mal entendido do local de encontro eu terminei conhecendo este lindo parque de ponta a ponta .Rsrs . Mas graças a Deus, quando cheguei eles ainda estavam  me esperando. Conversamos um pouco, e para não fugir do habitual a prosa foi sobre corridas, vocês já viram corredores se encontrarem e conversarem sobre outro assunto sem ser corridas? Às 19:30 h nos despedimos e cada um foi para seu hotel descansar para o grande dia.  Já no hotel encontrei alguns velhos conhecidos de corridas como seu LUIZ e a DAIZE . Antes de dormir ainda falei um pouco com a senhora Adriana, fato este que é normal entre nós dois porque sempre trocamos ideias referentes as corridas. Ela me falou: Amigo, amanhã a temperatura estará terrível, em torno dos 35 graus. Respondi a ela que eu estava preparado psicologicamente para superar este calor e que chegaria até o fim . Acordei as 03:45 h, isto ninguém tira de mim, é meu relógio biológico e todos nós o temos, mas algumas pessoas se recusam a ativá-lo . Rsrs . As 06:30 h o trânsito de atletas se dirigindo para o local da corrida já era grande . O hotel serviu um desjejum para os atletas e la fomos nós para o local da prova. Procurei aquele meu lugar estratégico e fiquei concentrado, aguardando o momento da largada.
A concentração é um detalhe que eu sempre levo muito a sério, pois é neste momento que eu faço os últimos ajustes na minha mente, para que ela e meu corpo funcionem em harmonia. Na minha humilde opinião, se estes dois fatores não estiverem ajustados harmonicamente, com certeza, não chegarei a lugar nenhum. A previsão de um sol forte e maravilhoso se concretizou, a corrida ainda nem havia começado e o sol já se brilhava, todo majestoso, nos dando bom dia, e  desejando uma ótima corrida. Rsrs . Muitos atletas presentes, só inscritos segundo informações eram 18.000,  e mais os famosos PIPOCAS. Para onde eu olhava tinham atletas, com sinceridade um momento mágico do meu esporte, todas aquelas pessoas reunidas com um mesmo objetivo, CORRER, e com um só propósito concluir a distância que era sua meta. Foi dada a largada no horário previsto, está é uma das vantagens de você participar de uma corrida onde tem como patrocinador a REDE GLOBO. Rsrs . Larguei naquela minha correria de sempre, "correndo igual uma tartaruga".  Meu objetivo principal em qualquer corrida é concluir dentro do tempo estipulado no regulamento. Como nós os jovens falamos , eu estava correndo leve me sentia sobrando, rsrs , no Km 25 dei uma olhadinha no cronômetro  meu ritmo estava fabuloso, 10 minutos abaixo do meu tempo normal para Maratonas . Nos postos de hidratação eu pegava dois copos de água, sendo um para lavar o rosto e enxaguar a boca, tendo em vista que meus lábios estavam sempre secos pois o calor era muito forte, e o outro derramava na cabeça para refrescar e manter o moral elevado. Um detalhe que é bom registar, a água fornecida nos postos de hidratação estava quente e muitos atletas passavam mal por beberem essa água. Em alguns postos tinha isotônico a vontade, mas não tinha como pegar dez pacotinhos e correr com eles na mão, também tinha isotônico em gel. É nestes momentos que eu levo vantagens nas corridas que participo , sempre corro com minha mochila de hidratação nas costas. Pode até ser psicológico mas o liquido está sempre fresquinho. E também tem o detalhe do meu corpo já estar acostumado com a temperatura da água do interior da mochila. Ao pegar um copo de água, o tato vai informar ao cérebro  que está quente. Aí entra todo aquele processo de que a água está quente e o corpo vai rejeitar . No Km 28 minha amiga me visitou, que amiga? A Câimbra rsrs , primeiro ela veio na perna direita pensei, Meu Deus, no meu caso especifico já sabia qual o motivo da câimbra, a falta de sal, pois correndo com um sol forte e temperatura de 35 Graus, isto era inevitável. Quem me conhece sabe o quanto eu transpiro durante uma corrida independente da distância e temperatura. Resumindo meu corpo estava precisando de sal , e em nenhum posto de hitrataçao tinha sachê de sal para os atletas . Infelizmente o veterano aqui pisou na bola e pisou legal mesmo . Dei uma olhada no cronômetro e vi que as chances de não poder terminar a corrida eram quase inexistentes. Mas já sabia que dali em diante seria um martírio. Vai ser um tal de parar, alongar e correr. No Km 40, a câimbra veio tão forte que eu simplesmente tive que sentar no chão, pois a dor era terrível.  Não conseguia mover a perna para lado nenhum ou mesmo encolher. Os atletas passavam muitos paravam e perguntavam o que eu tinha, e se eu estava bem... Infelizmente não tinha o  que fazer, fiquei ali sentado quietinho igual um cachorrinho acuado esperando minha amiga ir embora. Mesmo com dor meu moral estava la em cima e ainda brinquei com a câimbra falei prara ela sai de mim, vai embora este corpo não te pertence . Rsrs . levantei dei uma pisadinha de leve no chão e percebi que ela tinha deixado meu corpo. Macaco velho que sou, diminui o ritmo ao máximo e segui em frente, ainda alcancei alguns atletas que tinham parado para me socorrer e um deles até perguntou se estava melhor. Respondi que sim e que faltava pouco para chegar, que chegaria nem que fosse me arastando, mas chegaria.
Graças a Deus eu cheguei, e para minha surpresa,  dentro do que eu tinha previsto para concluir a corrida . Na minha opinião a Maratona de São Paulo é uma Maratona de dificuldade média, o grande desafio dela consiste em suportar o calor que dobra o desgaste físico dos atletas. Meus agradecimentos aos organizadores desta Maratona, na minha opinião ela é perfeita em todos os sentidos, recomendo com certeza absoluta aos apaixonados por correr.
Agradeço igualmente meus familiares que mesmo não demostrando sempre me apoiam, no sentido de que eu continue fazendo o que gosto . Aos membros da minha querida Equipe Jacaré De Conga, meus admiradores, sejam eles nas críticas ou nos elogios e finalizando meu muito obrigado a todos os atletas que participaram desta prova.
Atenciosamente com carinho.

RUDIVAL GOMES

MOUNTAIN DO - LAGOA DA CONCEIÇÃO - 11/10/2014

Neste sábado, dia 11, foi realizada mais uma prova Mountain Do Lagoa da Conceição.
Evento realizado pelo 11º ano consecutivo em Florianópolis.
Em 2011 estive presente participando em octeto pela EQUIPE. Em 2012 em quarteto e em 2013 em dupla.
Para 2014, antes de ser lançada as informações para a prova, eu havia enviado alguns e-mails para a EQUIPE e na época, quase vinte gostariam de participar.
Quando colocada as informações gerais sobre o evento, o numero de interessados reduziu em menos da metade de interessados.
A grande novidade que foi colocado para este evento seria a opção de fazer a prova na categoria SOLO.
De imediato, me propus a encarar o desafio, porque além de ser inédito, formava uma sequencia muito especial para mim....2011...octeto...2012...quarteto...2013  dupla e agora em 2014..a possibilidade de fazer solo.
Com o transcorrer de mais alguns dias após o inicio das inscrições, a unica pessoa da EQUIPE que ainda queria participar era a Celinha, mas não houve quem se interessasse  em fazer até uma dupla com ela, que ela toparia, onde eu expliquei que este ano meu objetivo era fazer solo.
Aberta as inscrições, para poder participar da categoria solo, era necessário preencher uma ficha respondendo alguns quesitos, encaminhar aos organizadores e aguardar o retorno se poderia ou não participar individualmente da prova.
Alguns dias depois de enviar a ficha, veio a resposta de que eu poderia fazer a minha inscrição e que só seriam aceitos 73 participantes nesta primeira etapa, numero total de quilômetros a serem percorridos.
Quando as primeiras informações foram colocadas no site, constava no regulamento sobre a categoria solo, o horario de largada...07.00 hs....tempo de conclusão da prova...11.00 hs...e dois pontos de corte, que são pontos onde o atleta deve passar dentro de um limite de tempo na prova, e caso não consiga tem que abandonar a mesma.
Uma prova dividida entre oito percursos, dos quais eu já conhecia seis e analisando os pontos de corte, considerava o primeiro deles, no final do percurso 4 (barra da lagoa, projeto tamar) dentro da normalidade para ser superado, porém com muita consciencial de que o segundo ponto de corte, no final do percurso seis (campo do Lili), era mais desafiador, pois já seriam 50,8 km percorridos e neste percurso havia uma subida de dificil superação no trajeto.
Eu, conhecendo a prova e sabendo como é o ultimo percurso, estranhei o fato de colocarem o ultimo ponto de corte no final do percurso seis e não no final do percurso sete, onde dependendo do horário que o atleta chegue neste ponto, prosseguir em frente torna-se mais perigoso, pois dos 12,4 km restantes do ultimo percurso, eu diria que 9,4 são dentro da mata, com trilhas e muitas pedras, onde o entardecer dificulta a visão do atleta, mas enfim.
Após mais alguns dias, inscrição efetuada, a Luisa e a Claudinha sendo contra a minha participação individualmente, e sempre dizendo que uma ambulância tinha que estar preparada...rssss.....recebi um e-mail com o termo de responsabilidade para preencher e com algumas informações adicionais, com duas alterações....uma... que o horario de largada seria 07.15 hs.......o que não interferia em nada.......mas a outra é que haveria mais um ponto de corte e este seria no final do percurso sete.........e a minha preocupação ficou muito maior, pois ai seriam 60,6 km...a serem superados dentro de um determinado tempo.......e o percurso sete era um dos que eu ainda não conhecia, mas agora, desistir jamais...........e seja o que DEUS quiser.
Como preparação para esta prova, sempre visualizei os percursos que já conhecia e montava na minha consciência como agir em cada um destes, onde ser mais rápido, onde andar, onde tirar o tênis e correr pela praia com água nos pés e tudo mais. Solicitei ao professor Marcelo, da Fort Fit que elaborasse uma planilha de exercicios fortes, visando uma prova que iria exigir muita resistencia fisica, maior que a primeira maratona e a prova de Urubici, sendo que tinha sido ele também que havia feito as planilhas para estas duas provas.
Como treino, longão não é muito minha disciplina, mas houve duas situações que me ajudaram muito em eu ter mais confiança para esta prova no que se referia a este quesito. A pedalada da natureza em Quatro Barras, onde fui pedalando de São José dos Pinhais a Quatro Barras, fiz os 25 km da pedalada, que foram de um grau de dificuldade alto e retornei para São José pedalando e a outra situação, foi fazer um treino no percurso do 20 K em Balneario Camboriu, uns 15 dias antes tendo a companhia da Celinha e da Eliana, onde como treino, considerei extraordinario o tempo de conclusão do mesmo e até mencionei que era o ritmo ideal para fazer o Mountain Do.
Fora estas duas situações, foram dois ou tres treinos no Jacapercurso fazendo duas voltas apenas para achar o ritmo certo para a prova.
O treino no 20 K acima mencionado foi feito em um sábado e no domingo seguinte participamos da prova Gomes da Costa, quando a Eliana e a  Celinha resolveram ir para o Mountain Do, onde iriam revezar nos percursos me acompanhando e a Alcione iria fazer companhia como staff.
Chegando o dia do desafio, na sexta pela manhã, eu e a Luisa nos deslocamos para Floripa, paramos para almoçar, ingerindo muito macarrão, já pensando na reserva para o dia seguinte e  passamos em Nova Trento, no Santuario de Madre Paulina, para algumas orações e um pedido de muita proteção e que eu concluísse a prova dentro do prazo estabelecido.
A Celinha, a Eliana e a Alcione iriam a tarde.
Chegando em Floripa, por volta das 19.00 hs, eu e a Luisa fomos direto ao Lagoa Iate Clube para retirar o kit e aguardar o simpósio que iria iniciar as 20.00hs.
A Eliana passou uma mensagem dizendo que estavam paradas na BR, proximo de Tijucas do Sul devido as obras, e que pensavam em retornar, depois conseguiram ligar dizendo que estavam em Joinville, e mais tarde outra ligação que estavam novamente paradas na BR, desta vez em Itajai sendo que neste caso, acredito eu que tenha sido devido a OKTEBERFEST, pois o acesso a Blumenau é pela mesma BR e em ambos os sentidos.
Iniciado o simpósio, foi dado um aviso de que os atletas da categoria individual, denominados pela organização de INSANES, deveriam aguardar no local após o termino do simpósio para uma conversa com o KIKO, o organizador do evento.
Na reunião com este, ele, disse que havia colocado apenas 73 vagas para o individual, e que ele recebera um pouco mais de 40 solicitações para participar da categoria, mas que ele liberou apenas 30 das solicitações, as quais ele considerou que estavam aptos para fazer a prova.
Destes 30 inscritos, não estavam ali presentes no simpósio nem 15.
Foi muito sincero em dizer que ele estava usando a todos nós como cobaias, para ver qual seria o resultado e o que cada um de nós teriamos a falar da prova, sendo ela individual, para que ele refletisse sobre a continuidade da categoria para os anos seguintes.
Também nos deu algumas informações e deixou ciente de que esta prova, com esta quilometragem e com  o grau de dificuldade da mesma, que todos nós deveríamos ter muita "cabeça" para concluir a mesma.  Haveria postos de hidratação de 04 em 04 km e que haveria 07 destes pontos com isotonico. Em alguns pontos de troca, haveria torradas, batatas, cereais e outros para os insanes.
Aproveitamos o coquetel do simpósio que já foi o nosso jantar e fomos para a pousada. As meninas chegaram por volta de meia noite na Lagoa, onde fui encontra-las no local combinado, nos reunimos e montamos nossa estratégia, ou melhor, a minha estratégia...........rsss
A Celinha, sofreu um acidente caseiro durante a semana, sofrendo algumas queimaduras, e queria me acompanhar em alguns percursos, sendo que pedi a ela para não faze-lo pois ela iria sofrer muito e iria piorar.
Como elas chegaram tarde, a minha largada era as 07.15 hs e eu tinha confiança de que não iria precisar do apoio delas no primeiro ponto, deixei elas a vontade para irem para o segundo ponto e que eu não estaria lá antes das 09.30 hs.......e que poderiam levantar mais tarde, tomar café e irem tranquilas.
A noite uma forte ventania se fez presente, onde pensei que iria correr debaixo de chuva.
As 06.00 hs..a Luisa me deseja boa sorte, saio da pousada e vou em direção ao Lagoa Iate Clube para começar um incrivel desafio. Sigo pensando em encontrar uma panificadora para tomar pelo menos um café para que eu esteja completo. Bem próximo do estrutura do evento, encontro uma panificadora aberta, com café fresquinho e salgados..........ohhh beleza.
Já no Lagoa Iate Clube, com a mochila na costas, a qual iria levar somente até o segundo posto, onde deixaria com a Luisa e as meninas, e só estava levando a mesma comigo por precaução, pois não gosto de correr carregando coisas, fiquei sentado em um banco, quando chegou um, depois outro insane e  trocamos algumas informações essenciais para tentarmos concluir a prova.
Haveria nesta prova uma equipe da Policia Militar de SC, do esquadrão BOPE, os quais iriam largar junto com os insanes, porém, levando um cadeirante de 10 anos de idade com eles.
Uma união incrivel dos militares, os  quais montaram a equipe para todos juntos carregarem o cadeirante, sendo que iriam fazer 60% do percurso.
Próximo do horario da largada, fomos chamados a nos dirigir ao funil de largada, a ventania já não era tão forte,  o sol se fazia presente mostrando que seria um companheiro durante o dia todo.
07.15 hs em ponto, é dada a largada para uma incrivel aventura.
Ao sair das dependencias do Iate Clube, o Kiko ia cumprimentando um a um e gritando...."é cabeça"..."é cabeça".
1º percurso...Lagoa Iate Clube até o Campeche...10,7 km..sendo 5 km de asfalto, 2 km de dunas, 2,7 km de praia  e 1 km de trilha....tempo de 1h16m35seg........o ano passado participando em dupla eu fiz este trecho em 1h10m10seg.
Chegando ao posto de troca, só peguei um copo de agua, tirei os tenis para tirar a areia dos mesmos e segui em diante para o 2º percurso...de 8,6 km, em direção a Praia da Joaquina. Percurso de 1,8 km de asfalto..0,5 km de estrada de chão e 6,3 km de praia, sendo estes no final do percurso, onde tirei os tenis, fui pela agua, o que me ajudou a fazer um excelente tempo neste percurso, sem prejudicar meu rendimento, pois a agua fria além de refrescar ia já de inicio relaxando as pernas. Fechei o percurso com 51min56seg, e o ano passado fiz em 01h00min44seg.
Chegando no posto da Joaquina, lá estavam os meus staff´s pessoais, Alcione, Celinha, Eliana e Luisa. Da-lhe gatorade, agua, tirar a areia dos pés, calçar os tenis e seguir adiante, agora enfrentando o primeiro percurso que eu não conhecia ainda, da Joaquina até a Praia Mole.
Este percurso é de 1 km de dunas, 4 km de trilhas em montanhas e 0,5 km de asfalto.
Apesar de ser o percurso de menor quilometragem, é um percurso de dificuldade alta, onde tem uma subida nas dunas, que abaixei a cabeça e fui pisando onde os atletas da frente pisaram e a areia não cobria estes passos até alcançar o topo. A trilha neste trecho é fantastica, desafiadora mesmo. Fiz o percurso em 01h00min44seg. Chegando na Praia Mole, começou a operação para eu não me desidratar, ficar consciente, ingerir algum alimento e não dar oportunidades a cãibra, pois já havia ultrapassado 1/3 da prova.
Haja  coca-cola daqui para frente.
Segui encarando o quarto percurso, 7,6 km, (da Praia Mole até a Barra da Lagoa, no projeto Tamar) sabendo da dificuldade do mesmo e que era o primeiro ponto de corte.  1,6 km de praia e 6 km de trilhas em montanha. Cheguei no projeto Tamar depois de 1h20min52seg, sem ser "barrado" pela organização, sem perguntar nada a ninguém e sem olhar para o relógio.
Em 2012, quando participei em quarteto, fiz este trecho em 52min41seg.
Mais uma vez, lá estavam os staff´s na minha espera e eu sabendo que o quinto percurso era mais tranquilo, onde eu deveria render naquele momento e naquela altura da prova, o melhor de mim, porque os outros ultimos tres percursos seriam cruciais. Sigo adiante, para o quinto percurso, (projeto Tamar até o Moçambique)...6,2 km..4,2 de trilha e 2 de praia...fechei o percurso em 58min18seg. Cheguei firme, determinado, pedindo para trocar de tenis,meia, ingerindo muita coca cola e sem vacilar muito seguir adiante. Neste ponto o Julian, conhecido de alguns Jacarés iria fazer sua estréia no Mountain Do em octeto e aproveitou para tirar algumas fotos minhas enquanto eu trocava de tenis. Também a Eliana iria me acompanhar neste percurso (Moçambique até Campo do Lili), e já fui avisando..."se prepara para caminhar...rsss"..que não será facil, seriam 12 km...e eu conhecia o percurso....e lá fomos nós......eu e ela sabendo que se ela ficasse para tras...rssssss..poderia acontecer, porque não........eu não poderia esperar ela, pois corria contra o relógio, pois o proximo trecho no seu final era o segundo ponto de corte e seria o ultimo ponto onde as staff´s pessoais teriam contato comigo e depois só na chegada, pois o ultimo ponto só se tem acesso através de barco. Percurso de 4 km de estrada rural...com muita areia....em linha reta, sem ver o fim da mesma.....1,5 km de bosque...oh abençoada sombra...0,5 km de dunas...que calor, e mais 6,2 km de estrada rural, sendo de saibro, estrada de chão e asfalto.....com uma imensa subida, onde tinha que superar o trauma de 2013, quando um staff em determinado ponto falou que faltavam 3 km...e na verdade deveriam ser 6 km..rsssssss
Em 01h46min21seg chegamos no campo do Lili...onde a Eliana foi a minha sombra...pois não sou de conversar em corrida, imagine nesta então....rsss...éramos dois corredores normais....cada um na sua. O ano passado fiz o mesmo percurso em 01h34min54seg.
Ao chegar também ninguém me "barrou" dizendo que eu estava "cortado", me hidratei muito, de-lhe coca cola, sentei um pouco e recebi uma massagem a oito mãos.......pois eu não teria meus staff´s no proximo ponto, estaria sozinho dali em diante...........ESTARIA....pois a Eliana disse que iria continuar me acompanhando...e eu avisei que teria que encarar os dois ultimos trechos, pois não teria volta daquele ponto.........e lá fomos nós.
Neste ponto, quando cheguei, falei que não queria ouvir de ninguém que horas eram e quanto eu tinha para fazer este penultimo percurso, (campo do Lili até o final da costa da lagoa), o mais crucial, onde haveria o ultimo corte e eu não conhecia o percurso. Cheguei até aqui, preciso vencer o penultimo e fazer o ultimo bem tranquilo. Seriam 9,8 km., 2 km de estrada de chão, 3 km de asfalto e 4,8 km de trilhas em montanhas. O calor era forte e em determinado ponto do percurso em asfalto, havia um bar e não exitei em parar e comprar mais uma coca-cola....oh delicia...
No ultimo momento em que alguém poderia chegar de carro neste percurso, ia na minha frente outro atleta insane, o qual eu já tinha ultrapassado em algum momento da prova e ele a mim........quando o KIKO chegou de carro, encostou ao lado deste atleta e ouvi ele dizer.......se voce não acelerar, não chega ao proximo ponto no prazo determinado.
Ao ouvir isso, cheguei perto  e foi quando o KIKO viu meu numero e percebeu que eu também estava no individual, e questionei se não haveria nenhuma tolerancia e ele só confirmou.....o que já sabia.....que neste ponto não haveria tolerancia.
O atleta da frente continuou e eu fui atras, quando perguntei a ele se ele conhecia o que ainda faltava no percurso e quanto tempo tinhamos para chegar no ponto..... e ele disse...são 15h40min...temos 35 minutos....e o atleta disse o problema não é o tempo e sim o percurso...porque agora é só trilha e é muito dificil. Ao ouvir isso, não pensei duas vezes, disparei, sem olhar para tras, sem pensar na Eliana e até aqui eu vinha cauteloso quanto aonde pisar, olhar o terreno, me cuidar e outras coisas.............não era ali que eu ia ficar....fui enfiando os pés na lama, na agua...nas descidas, parecia voar, e nas subidas...me agarrando no que tinha pela frente.  Em determinado  ponto, ultrapassei outro atleta individual e em determinado momento, percebi que havia alguém atras de mim que me acompanhava no mesmo ritmo e resolvi olhar para tras, pois se fosse um dos dois que tinham ficado para tras, iria deixa-los passar e quando virei para olhar, quem estava na minha "cola", era a minha sombra, a Eliana que vinha no mesmo ritmo e passadas.
Não enxergava a Lagoa, pois só sabia que quando eu chegasse na beira da Lagoa teria alguns metros para chegar no ponto, onde havia o píer dos barcos. Ao avistar a beira da Lagoa e chegar nela, acelerei ainda mais, agora acompanhando um atleta de revezamento, onde ele pisava eu pisava em seguida.....escorreguei na ultima pedra a ser vencida, senti que poderia dar cãibra, forçei a perna, esqueci o que poderia acontecer e cheguei no ponto, onde a moça não falou nada......e eu também não perguntei nada......cai na grama para recuperar o folego.....sabia que tinha conseguido porque ela e outro rapaz anotavam na prancheta.....e logo veio o atleta que passei na trilha e ele continuou adiante.  Fiz sinal de positivo para a Eliana, pois ela não entrou no funil deste posto, disse que não tinham me "cortado" e que o cara de branco já tinha passado e ido embora......e ai chegando no percurso uma moça que fazia dupla e que iria continuar fazendo o ultimo trecho....e que acabou sendo "barrada", pois estava fora do horário e ai ouvi da moça e do rapaz da prancheta......."as duplas tinham que estar aqui até as 16.00 hs.....agora são 16h14min...e como voce é quem fará o ultimo trecho não pode continuar.
O rapaz com que o KIKO falou também chegou e continuou adiante...e logo em seguida a moça do posto me chamou pelo nome, pois constava no numero.....e me advertiu..."Claudio, se voce não for em frente, eu te corto"................nem precisou terminar de falar..........já estava indo para trilha. Estava exausto mas imensamente feliz, porque agora era só chegar, vencer o ultimo percurso nem que fosse engatinhando..seriam os 12,4 km mais longos já percorridos.
Fechei este penúltimo percurso em 01h40min34seg.
Ao continuar, falei para a Eliana...."tenha muita calma, vamos de boa, porque tem muita trilha ainda". 12,4 km pela frente, sendo 9 km de trilha e 3,4 de estrada.......e o que é 12,4 km para quem já tinha feito 60,6....rsss
Seguindo na trilha, encontramos um atleta individual que também caminhava e ele dizia estar preocupado em não conseguir concluir a prova, devido ao horário, pois havia pouco tempo para concluir a prova. Fiz as contas com ele e ele percebeu que havia errado no calculo...rsss..onde ainda havia uma hora a mais para concluirmos a prova..e eu sabia que depois de passar pelo ultimo ponto de corte, a organização do Mountain Do não iria deixar na mão aqueles que ainda estavam no ultimo percurso, mesmo que passasse um pouco do horário previsto para término da prova.
Na nossa caminhada, encontramos novamente o atleta que o KIKO avisou sobre o tempo no penúltimo corte, logo depois dois atletas de revezamento. Em alguns momentos conseguíamos "trotar" nas trilhas....mas era só começar, que logo tinha subida a frente e muitas pedras.
Parecia não ter mais fim aquela trilha,  e em alguns pontos tínhamos que passar entre as casas dos moradores do local, onde em uma das casas, um casal com a mesa na varanda, apreciando o final da tarde e com duas garrafas de vinho na mesa...onde quase parei e perguntei se eles não teriam uma coca-cola..rsss. Em alguns pontos deste percurso, a Eliana estava um pouco a frente e as vezes tinha que parar, pois eu chegava a me apoiar no ajoelho e a buscar respiração para poder continuar as subidas...rsss..
Mais adiante, cometi a falha de perguntar a um morador se a estrada estava longe.........e ele respondeu......mais quatro quilometros...........que tortura..rssss
Avisei a Eliana que quando chegássemos a estrada, a mesma também seria longa...rsss..e com muitas subidas. 
Com o passar dos minutos, era possivel entender porque para fazer este percurso tem que ser respeitado um determinado horario, pois começa a escurecer rapidamente e realmente a trilha começa a ficar mais perigosa.
Até que enfim, surgiu a estrada a nossa frente, começamos a "trotar"....nas descidas e retas......e a caminhar nas subidas até avistar a avenida que cortava essa estrada e logo depois era o fim dessa aventura fantastica.
Ao cruzarmos a avenida, um dos staff´s que cuidavam da rua, foi "trotando" conosco, quando avisei que iria caminhar mais um pouco e que eu sabia o caminho...rssssss...e ele não precisava nos conduzir.....rssss...vai que ele cansa...rsssssss
Logo dobramos a esquerda e falei......eis a ultima subida........e é a ultima mesmo.
Ao chegarmos na rotatória para o Iate Clube, a Celinha e a Alcione nos aguardavam na esquina e começaram a gritar. Passando a rotatória, falei para a Eliana..."agora temos que chegar correndo"...é o fim...vamos que vamos.
Neste momento os poucos staffs e atletas que ainda estavam no local, gritavam, aplaudiam e nos parabenizavam pelo caminho......e entrando nas dependencias do Iate, para chegar ao portal de chegada, lá estava o locutor, firme, anunciando a chegada de mais um insane, mencionando o nome e nos parabenizando também. Foram duas horas, sete minutos e cinquenta e dois segundos neste percurso.........fechando a prova em 11 horas e 03 minutos...onde até o Rafael, da cronometragem me parabenizou...e logo depois chegaram os outros dois atletas que haviamos ultrapassado na trilha do ultimo percurso e também os dois atletas do revezamento.
Muita alegria, um cansaço dominável pois a adrenalina ainda era enorme.....e receber a medalha diferenciada por ter concluido a prova....a qual seria só para quem terminasse a mesma e uma camisa finisher....maravilhosa.
Retornamos a pousada, um banho mais que merecido e saimos para jantar, onde até fiz companhia para a Celinha e a Alcione em uma cerveja.....rssssss..mas só uma.
Na manhã de domingo a Celinha, a Alcione e a Eliana retornaram para São José, eu e a Luisa ficamos para o almoço de premiação, onde tive a companhia do Rafael na mesa e ao sair fiz questão de cumprimentar e parabenizar ao KIKO pela iniciativa e pela oportunidade.
Uma prova que sempre mencionei ser incrivel, mas fazer ela por completo do inicio até o final, passar por locais maravilhosos, parar no alto desta ou daquela montanha para observar a natureza abençoada, olhar de um lado e só avistar agua, olhar do outro lado e ver um vale, com uma imensa floresta. Olhar o céu azul, estar subindo uma trilha,olhar para o alto e ver distante outros atletas que também ainda não tinha chego ao pico. Ouvir os staffs apoiando, parabenizando. Chegar nos pontos de troca, aguardar alguns instantes e receber elogios por aquilo que estávamos fazendo. Correr descalço em praias, sentir a agua massageando as pernas. Entrar em bosques onde a sombra era uma recompensa pelos momentos em céu aberto, onde o sol era implacável.  Subir nas dunas, descer as mesmas, "encarar" as subidas. Entrar nas trilhas estreitas, muitos obstáculos pela frente. Dar passagem aos atletas do revezamento. Trilha com 200 metros de altitude. Neste ou naquele ponto parar para colocar tenis, para tomar agua, isotonico e quando outro atleta passava perguntavam se estava tudo bem.
Foi algo predestinado, pois fazer octeto em 2011, quarteto em 2012, dupla em 2013 e em 2014 ser oferecido pela primeira vez a opção do SOLO eu não poderia deixar escapar a oportunidade.
Foi uma conquista abençoada, onde agradeço acima de tudo a DEUS pelo dom da vida, por permitir que eu participasse do evento, que eu estivesse apto para o mesmo e em condições de lograr exito. Agradeço a Luisa que lá no inicio desta minha aventura era contra, mas que transformou-se sendo aliada, incentivadora, dedicada e rezando muito por mim.
Agradeço a essas tres meninas, Alcione, Celinha e Eliana, que simplesmente pegaram a estrada, enfrentando um transito estressante para chegar em Floripa, que dentro e fora dos percursos foram alicerces, companheiras e também guerreiras em ficar mais de 10 horas em todo o evento. Eliana que quase concluiu uma maratona de montanha, me acompanhando "calada" ..rssssssss......por 34,4 km.
Agradeço aos que mandaram e-mail me desejando sorte.
Agradeço ao prof. Marcelo, que fez uma excelente planilha de treino para eu não sofrer com as dores musculares durante a prova.
Se eu tiver que mencionar o que me fez lograr exito nesta prova...os principais pontos seriam..
- muita fé.
- muita determinação.
- muita consciência.
- estar com o psicológico preparado 110 % para os desafios que seriam a cada percurso cada vez maior.
- conhecer seis dos oito percursos.
- não olhar para o relógio em momento nenhum da prova.
- se hidratar muito, ingerir muito gel e outras guloseimas para recompor o organismo.
MAS o MAIS IMPORTANTE para que eu chegasse firme, dentro do contexto...INTEIRO...foi eu ter tido 05 anjos comigo........04 deles presentes, apoiando, colaborando, se preocupando comigo, me ajudando,me acompanhando e 01 que quando talvez minhas pernas enfraqueceram ele usou as dele, quando meu oxigênio precisou de recarga a recarga foi dele, se em algum momento era para eu ter cãibras, ele as absorveu...e se eu não me entreguei em momento nenhum, foi a força dele que se fez presente. Em muitos momentos da prova eu sabia que meu filho estava comigo.
ESSA PROVA foi magnifica, algo inigualável até aqui, e que DEUS permita que eu ainda viva mais emoções e aventuras como esta ou até melhores que esta.
VALEUUUU....VALEUUUU....VALEUUUU.......MIL VEZES VALEUUUU.

Claudio Luiz Guras

CORRIDA FUGA DA MARÉ - ILHA DO MEL - 11/10/2014

Dia 11 do corrente mês foi realizada na Ilha do Mel, em nosso litoral, a Corrida organizada pela Correr e Nadar, Fuga Da Maré. Para não perder o costume lá estava eu as 05:30 h da manhã procurando o local recomendado pela organização para estacionar o carro e pegar a lancha que levaria os atletas até a ilha. Depois de muito procurar pelo tal estacionamento e não encontrar, desistir de procurar. Encontrei outro estacionamento ali por perto e entrei para estacionar o carro. Procurei pelo responsável, mas nem sinal, também quem estaria acordado as 05:30 h da manhã cuidando de um estacionamento em Pontal? Como estava escrito estacionamento, deixei o carro ali e fui ao local onde pegariamos a lancha às 06:00 horas. Quando cheguei no local pelo tanto de pessoas que se encontravam esperando a lancha percebi que a corrida teria pouquíssimos atletas participando. Para minha pessoa não era novidade, tendo em vista que por conhecer bem o organizador quando tive conhecimento desta corrida ja tinha lhe avisado que o dia e o horário era impróprio. Por se tratar de uma corrida em um sábado as 08:00 h da manhã e ainda tinha contra o local da corrida. Depois de um atraso de um hora e trinta minutos desde a chegada da lancha, finalmente chegamos a ilha e graças a Deus já estava tudo organizado para a corrida. Foi só o tempo dos atletas trocarem de roupa e foi iniciado a prova. Como já tinha participado de uma corrida com mais membros da nossa equipe Jacaré De Conga no local mencionado, não encontrei dificuldades no pecurso que na minha opinião considero fácil. Esperavamos por um sol forte logo pela manhã , mas o tempo amanheceu nublado e em alguns momentos até uma fina garoa se fez presente. Conclui a corrida dentro do que havia me programado e como recompensa pelo meu esforço para estar presente na corrida fui agraciado com o primeiro lugar na minha categoria. Meus agradecimentos a Correr e Nadar pela ótima organização, tendo em vista que o imprevisto do atraso da lancha não foi culpa deles. Agradeço igualmente todos os atletas e seus familiares que estavam presentes nesta corrida . 
Com carinho.
RUDIVAL GOMES